Sexta-feira, 18 de agosto de 2017
Itaú

Itaú transforma bancário em vendedor, cobra metas e pune cancelamentos


10/11/2016
Na Trincheira, edição 373 (Jornal produzido pela Chapa 2 - Redação e Diagramação: Fernando Grisolia, Fábio Heubel e Marcos Assis.)

O bancário é assediado para bater metas absurdas, empurrando produtos supérfluos, para tentar se manter no emprego. Porém, se o cliente, insatisfeito, cancela um produto vendido por você antes de quatro meses antes do início do contrato, você é advertido, aumentando o risco de ser demitido. Essa é a dura rotina dos bancários do Itaú. Enquanto o banco vende a imagem de uma empresa socialmente responsável, massacra seus empregados. 

AGIR

A política de advertências por cancelamento de produtos faz parte do Agir, programa de avaliação de desempenho que já foi alvo de diversas denúncias. O movimento sindical já cobrou do banco negociação sobre o Agir diversas vezes. Também já questionou a área de relações sindicais sobre a punição de bancários mediante cancelamentos, chamada pelo Itaú de ?venda mal feita?.

O resultado dessa pressão excessiva, que chega de todos os lados, é o aumento dos níveis de adoecimento e muitas demissões arbitrárias. Hoje, na prática, o discurso é muito diferente da realidade.

Se você está sendo vítima desses abusos, denuncie ao Sindicato!


Sindicato dos Bancários e Financiários de Bauru e Região
Rua Marcondes Salgado, 4-44, Centro - CEP 17010-040 - Bauru/SP
Fone (14) 3102-7270 Fax (14) 3102-7272 - contato@seebbauru.com.br