Segunda-feira, 26 de junho de 2017
Bradesco

Encontro da FNOB discutiu futuro dos bancos públicos e privados

Num cenário em que a direita liberal vem ganhando força, prevê-se muitas dificuldades para a classe trabalhadora

Bancários na Frente 23
19/12/2016

Aconteceu nos dias 3 e 4 de dezembro, em Porto Alegre, o Encontro Nacional da FNOB (Frente Nacional de Oposição Bancária), que contou com a participação de representantes de sete estados brasileiros.

O encontro foi aberto com um debate sobre as conjunturas nacional e internacional, e o consenso é que os trabalhadores enfrentarão dias difíceis com o avanço da direita em muitos países, inclusive no Brasil.

Depois, o debate foi sobre a greve deste ano e o que fazer em 2017, quando não teremos campanha salarial para organizar a categoria.

Dada a atual conjuntura nacional, especialmente no que se refere aos trabalhadores bancários, o principal assunto do encontro foi a reestruturação do Banco do Brasil e as reestruturações já em gestação da Caixa Econômica Federal e do Bradesco.

Foi criado um núcleo para elaborar políticas para barrar as demissões imotivadas e as reestruturações em instituições privadas, já que todos os grandes bancos estão apostando nos canais digitais de relacionamento.


Resistência

O Sindicato dos Bancários do Maranhão, que enviou representantes ao encontro, compartilhou com todos a peça jurídica que resultou na paralisação da reestruturação do BB no estado. Infelizmente, a liminar foi cassada no dia 14, mas, mesmo assim, oSindicato dos Bancários de Bauru e Região se comprometeu a fazer uma Ação Civil Pública para também tentar barrar a reestruturação em sua base territorial.


Eleições sindicais

No domingo, o principal tema de discussão foi a criação de chapas de oposição em alguns sindicatos que terão eleição no primeiro semestre de 2017: São Paulo, Porto Alegre, Santa Maria (RS), Curitiba e Florianópolis. A FNOB continua com o objetivo de ter cinco sindicatos levantando a sua bandeira (de não participar dos encontros da Contraf/CUT e, tampouco, formar chapas com os cutistas), para, enfim, ter a sua federação e poder para negociar diretamente com os banqueiros.

Por fim, também foi aprovada uma moção de repúdio à demissão de Juary Chagas, diretor do Sindicato do Rio Grande do Norte e funcionário da Caixa, que foi demitido por perseguição política.



Participaram do encontro três diretores do Sindicato dos Bancários de Bauru: Marcelo Negrão, Paulo Tonon e Roberval Pereira




Sindicato dos Bancários e Financiários de Bauru e Região
Rua Marcondes Salgado, 4-44, Centro - CEP 17010-040 - Bauru/SP
Fone (14) 3102-7270 Fax (14) 3102-7272 - contato@seebbauru.com.br