Segunda-feira, 20 de novembro de 2017
Bradesco

Sem porta giratória, Bradesco de Gália e Manduri são assaltados por bandidos fortemente armados


02/08/2016
Bancários na Frente, edição 15

Mais dois bancos foram assaltados na região. No dia 21, trinta pessoas foram feitas reféns em um assalto a uma agência bancária do Bradesco, em Gália. Já no dia 27, foi a vez do Bradesco de Manduri receber a visita de assaltantes. Nos dois casos, não havia porta giratória nas agências. 

Em gália, de acordo com a Polícia Militar, sete homens armados com fuzis entraram na agência sem dificuldade nenhuma, já que o banco não possui porta giratória. Os criminosos permaneceram durante uma hora e meia dentro da agência aguardando a abertura programada do cofre e, ao longo do tempo, renderam os clientes e funcionários que adentravam à agência.

Entre os reféns, havia três bancários, uma estagiária e  dois seguranças. 

O assalto foi milimetricamente planejado pela quadrilha, de forma que cinco assaltantes ficaram na parte interna da agência e os outros dois, nos caixas eletrônicos. Enquanto isso, fora da agência, um comparsa da quadrilha monitorava a movimentação da polícia pela cidade. Após o assalto,os ladrões fugiram, levando dinheiro e as imagens do circuito de segurança do banco.

Na cidade de Manduri, os assaltantes entraram na agência às 11h30 da manhã e renderam os seguranças. Durante o assalto, a Polícia Militar interveio e houve troca de tiros. Um idoso foi baleado.




Carro atingido pelo tiroteio na agência do Bradesco de Manduri, polícia cercando o banco e porta da agência destruída por um tiro de fuzil

Em ambos os casos, o Sindicato dos Bancários de Bauru e Região, se fez presente. Os diretores Edival Martins e Marcelo Negrão, estiveram, respectivamente, nas agências de Gália e Manduri, logo em seguida aos assaltos e explicaram aos bancários a importância de abrir imediatamente a CAT (Comunicação de Acidente de Trabalho).

Como informado na edição anterior deste jornal - quando noticiamos o assalto em uma agência do Bradesco de Taguaí, a CAT é um documento emitido para reconhecer um acidente de trabalho e no caso, o assalto caracteriza-se como acidente do trabalho em relação a todos os bancários presentes durante o ocorrido.

Sindicato reafirma que a porta giratória com detector de metais é um dispositivo essencial em qualquer estabelecimento financeiro, e pretende fazer uma forte campanha para obrigar o Bradesco a instalar esse dispositivo de segurança. Queremos segurança, respeito e responsabilidade!


Sindicato dos Bancários e Financiários de Bauru e Região
Rua Marcondes Salgado, 4-44, Centro - CEP 17010-040 - Bauru/SP
Fone (14) 3102-7270 Fax (14) 3102-7272 - contato@seebbauru.com.br